Isaías 46

1 Bel se inclina, Nebo se abaixa;
Os seus ídolos são levados
Por animais de carga.
As imagens que são levadas
Por aí são pesadas,
Um fardo para os exaustos.

2 Juntos eles se abaixam e se inclinam;
Incapazes de salvar o fardo,
Eles mesmos vão para o cativeiro.

3 “Escute-me, ó casa de Jacó,
Todos vocês que restam da nação de Israel,
Vocês, a quem tenho sustentado
Desde que foram concebidos,
E que tenho carregado
Desde o seu nascimento.

4 Mesmo na sua velhice,
Quando tiverem cabelos brancos,
Sou eu aquele,
Aquele que os susterá.
Eu os fiz e eu os levarei;
Eu os sustentarei
E eu os salvarei.

5 “Com quem vocês vão comparar-me
Ou a quem me considerarão igual?
A quem vocês me assemelharão
Para que sejamos comparados?

6 Alguns derramam ouro de suas bolsas
E pesam prata na balança;
Contratam um ourives
Para transformar isso num deus,
Inclinam-se e o adoram.

7 Erguem-no ao ombro e o carregam;
Põem-no em pé em seu lugar, e ali ele fica.
Daquele local não consegue se mexer.
Embora alguém o invoque,
Ele não responde;
É incapaz de salvá-lo de seus problemas.

8 “Lembrem-se disso, gravem-no na men­te,
Acolham no íntimo, ó rebeldes.

9 Lembrem-se das coisas passadas,
Das coisas muito antigas!
Eu sou Deus, e não há nenhum outro;
Eu sou Deus, e não há nenhum como eu.

10 Desde o início faço conhecido o fim,
Desde tempos remotos,
O que ainda virá.
Digo: Meu propósito permanecerá em pé,
E farei tudo o que me agrada.

11 Do oriente convoco uma ave de rapina;
De uma terra bem distante,
Um homem para cumprir
O meu propósito. O que eu disse, isso eu farei acontecer;
O que planejei, isso farei.

12 Escutem-me,
Vocês de coração obstinado,
Vocês que estão longe da retidão.

13 Estou trazendo para perto
A minha retidão,
Ela não está distante;
E a minha salvação não será adiada.
Concederei salvação a Sião,
Meu esplendor a Israel.