Isaías 47

1 “Desça, sente-se no pó,
Virgem Cidade de Babilônia;
Sente-se no chão sem um trono,
Filha dos babilônios.
Você não será mais chamada
Mimosa e delicada.

2 Apanhe pedras de moinho e faça farinha;
Retire o seu véu.
Levante a saia, desnude as suas pernas
E atravesse os riachos.

3 Sua nudez será exposta
E sua vergonha será revelada.
Eu me vingarei; não pouparei nin­guém.”

4 Nosso redentor,
O Senhor dos Exércitos é o seu nome,
É o Santo de Israel.

5 “Sente-se em silêncio, entre nas trevas,
Cidade dos babilônios;
Você não será mais chamada
Rainha dos reinos.

6 Fiquei irado contra o meu povo
E profanei minha herança;
Eu os entreguei nas suas mãos,
E você não mostrou misericórdia
Para com eles.
Mesmo sobre os idosos
Você pôs um jugo muito pesado.

7 Você disse: ‘Continuarei sempre sendo a rainha eterna!’
Mas você não ponderou estas coisas,
Nem refletiu no que poderia acontecer.

8 “Agora, então, escute,
Criatura provocadora,
Que age despreocupada
E preguiçosamente
Em sua segurança e diz a si mesma: ‘Somente eu,
E mais ninguém.
Jamais ficarei viúva nem sofrerei
A perda de filhos’.

9 Estas duas coisas acontecerão a você
Num mesmo instante, num único dia,
Perda de filhos e viuvez;
Virão sobre você com todo o seu peso,
A despeito de suas muitas feitiçarias
E de todas as suas poderosas
Palavras de encantamento.

10 Você confiou em sua impiedade e disse:
‘Ninguém me vê’.
Sua sabedoria e seu conhecimento a enganam
Quando você diz a si mesma:
‘Somente eu, e mais ninguém
Além de mim’.

11 A desgraça a alcançará
E você não saberá como esconjurá-la.
Cairá sobre você um mal
Do qual você não poderá proteger-se
Com um resgate;
Uma catástrofe que você não pode prever
Cairá repentinamente sobre você.

12 “Continue, então, com suas
Palavras mágicas de encantamento
E com suas muitas feitiçarias,
Nas quais você tem se afadigado
Desde a infância.
Talvez você consiga,
Talvez provoque pavor.

13 Todos os conselhos que você recebeu
Só a deixaram extenuada!
Deixe seus astrólogos se apresentarem,
Aqueles fitadores de estrelas
Que fazem predições de mês a mês,
Que eles a salvem daquilo
Que está vindo sobre você;

14 sem dúvida eles são como restolho;
O fogo os consumirá.
Eles não podem nem mesmo salvar-se
Do poder das chamas.
Aqui não existem brasas
Para aquecer ninguém;
Não há fogueira para a gente sentar-se ao lado.

15 Isso é tudo o que eles podem
Fazer por você,
Esses com quem você se afadigou
E com quem teve negócios escusos
Desde a infância.
Cada um deles prossegue em seu erro;
Não há ninguém que possa salvá-la.