Joel 2

1 Toquem a trombeta em Sião;
Deem o alarme no meu santo monte.
Tremam todos os habitantes do país,
Pois o dia do Senhor está chegando.
Está próximo!

2 É dia de trevas e de escuridão,
Dia de nuvens e negridão.
Assim como a luz da aurora
Se estende pelos montes,
Um grande e poderoso exército
Se aproxima,
Como nunca antes se viu
Nem jamais se verá nas gerações futuras.

3 Diante deles o fogo devora,
Atrás deles arde uma chama.
Diante deles a terra
É como o jardim do Éden,
Atrás deles, um deserto arrasado;
Nada lhes escapa.

4 Eles têm a aparência de cavalos;
Como cavalaria, atacam galopando.

5 Com um barulho semelhante ao de carros
Saltam sobre os cumes dos montes
Como um fogo crepitante
Que consome o restolho,
Como um exército poderoso
Em posição de combate.

6 Diante deles
Povos se contorcem angustiados;
Todos os rostos ficam pálidos de medo.

7 Eles atacam como guerreiros;
Escalam muralhas como soldados.
Todos marcham em linha,
Sem desviar-se do curso.

8 Não empurram uns aos outros;
Cada um marcha sempre em frente.
Avançam por entre os dardos
Sem desfazer a formação.

9 Lançam-se sobre a cidade;
Correm ao longo da muralha.
Sobem nas casas;
Como ladrões entram pelas janelas.

10 Diante deles a terra treme,
Os céus estremecem,
O sol e a lua escurecem
E as estrelas param de brilhar.

11 O Senhor levanta a sua voz
À frente do seu exército.
Como é grande o seu exército!
Como são poderosos
os que obedecem à sua ordem!
Como é grande o dia do Senhor!
Como será terrível!
Quem poderá suportá-lo?

12 “Agora, porém”, declara o Senhor,
“Voltem-se para mim
De todo o coração,
Com jejum, lamento e pranto.”

13 Rasguem o coração e não as vestes.
Voltem-se para o Senhor,
O seu Deus,
Pois ele é misericordioso e compassivo,
Muito paciente e cheio de amor;
Arrepende-se e não envia a desgraça.

14 Talvez ele volte atrás, arrependa-se,
E ao passar deixe uma bênção.
Assim vocês poderão fazer
Ofertas de cereal
E ofertas derramadas
Para o Senhor, o seu Deus.

15 Toquem a trombeta em Sião,
Decretem jejum santo,
Convoquem uma assembleia sagrada.

16 Reúnam o povo,
Consagrem a assembleia;
Ajuntem os anciãos,
Reúnam as crianças,
Mesmo as que mamam no peito.
Até os recém-casados
Devem deixar os seus aposentos.

17 Que os sacerdotes,
Que ministram perante o Senhor,
Chorem entre o pórtico do templo
E o altar, orando:
“Poupa o teu povo, Senhor.
Não faças da tua herança
Objeto de zombaria
E de chacota entre as nações.
Por que se haveria de dizer
Pelos povos:
‘Onde está o Deus deles?’ “

18 Então o Senhor mostrou zelo
Por sua terra
E teve piedade do seu povo.

19 O Senhor respondeu ao seu povo:
“Estou enviando para vocês trigo,
Vinho novo e azeite,
O bastante
Para satisfazê-los plenamente;
Nunca mais farei de vocês
Objeto de zombaria para as nações.

20 “Levarei o invasor que vem do norte
Para longe de vocês,
Empurrando-o
Para uma terra seca e estéril,
A vanguarda para o mar oriental
E a retaguarda para o mar ocidental.
E a sua podridão subirá;
O seu mau cheiro se espalhará”.
Ele tem feito coisas grandiosas!

21 Não tenha medo, ó terra;
Regozije-se e alegre-se.
O Senhor tem feito coisas grandiosas!

22 Não tenham medo, animais do campo,
Pois as pastagens estão ficando verdes.
As árvores estão dando os seus frutos;
A figueira e a videira
Estão carregadas.

23 Ó povo de Sião, alegre-se
E regozije-se no Senhor,
O seu Deus,
Pois ele dá a vocês as chuvas de outono,
Conforme a sua justiça.
Ele envia a vocês muitas chuvas,
As de outono e as de primavera,
Como antes fazia.

24 As eiras ficarão cheias de trigo;
Os tonéis transbordarão
De vinho novo e de azeite.

25 “Vou compensá-los
Pelos anos de colheitas
Que os gafanhotos destruíram:
O gafanhoto peregrino,
O gafanhoto devastador,
O gafanhoto devorador
E o gafanhoto cortador,
O meu grande exército
Que enviei contra vocês.

26 Vocês comerão até ficarem satisfeitos,
E louvarão o nome do Senhor,
O seu Deus,
Que fez maravilhas em favor de vocês;
Nunca mais o meu povo será humilhado.

27 Então vocês saberão
Que eu estou no meio de Israel.
Eu sou o Senhor, o seu Deus,
E não há nenhum outro;
Nunca mais o meu povo será humilhado.

28 “E, depois disso,
Derramarei do meu Espírito
Sobre todos os povos.
Os seus filhos e as suas filhas
Profetizarão,
Os velhos terão sonhos,
Os jovens terão visões.

29 Até sobre os servos e as servas
Derramarei do meu Espírito
Naqueles dias.

30 Mostrarei maravilhas no céu e na terra:
Sangue, fogo e nuvens de fumaça.

31 O sol se tornará em trevas,
E a lua em sangue,
Antes que venha o grande e temível
Dia do Senhor.

32 E todo aquele que invocar
O nome do Senhor será salvo,
Pois, conforme prometeu o Senhor,
No monte Sião e em Jerusalém
Haverá livramento
Para os sobreviventes,
Para aqueles a quem o Senhor chamar.