Obadias 1

1 Visão de Obadias. Assim diz o Sobe­rano,
O Senhor, a respeito de Edom:
Nós ouvimos uma mensagem do Se­nhor.
Um mensageiro foi enviado às nações para
Dizer:
“Levantem-se! Vamos atacar Edom!”

2 “Veja! Eu tornarei você pequeno entre as
Nações.
Será completamente desprezado!

3 A arrogância do seu coração o tem
Enganado,
Você que vive nas cavidades das rochas
E constrói sua morada no alto dos mon­tes;
Que diz a você mesmo: ‘Quem pode me
Derrubar?’

4 Ainda que você suba tão alto como a águia
E faça o seu ninho entre as estrelas,
Dali eu o derrubarei”, declara o Senhor.

5 “Se ladrões o atacassem,
Saqueadores no meio da noite -como você está destruído! –
Não roubariam apenas quanto achassem
Suficiente?
Se os que colhem uvas chegassem a você,
Não deixariam para trás pelo menos
Alguns cachos?

6 Entretanto, como Esaú foi saqueado!
Como foram pilhados
Os seus tesouros ocultos!

7 Empurram você para as fronteiras
Todos os seus aliados;
Enganam você e o sobrepujarão
Os seus melhores amigos;
Aqueles que comem com você
Para você armam ciladas”.
E Esaú não percebe nada!

8 “Naquele dia”, declara o Senhor,
“Destruirei os sábios de Edom,
E os mestres dos montes de Esaú.

9 Então os seus guerreiros, ó Temã,
Ficarão apavorados
E serão eliminados todos os homens
Dos montes de Esaú.

10 Por causa da violenta matança
Que você fez contra o seu irmão
Jacó,
Você será coberto de vergonha
E eliminado para sempre.

11 No dia em que você ficou por perto,
Quando estrangeiros roubaram
Os bens dele,
E estranhos entraram por suas portas
E lançaram sortes sobre Jerusalém,
Você fez exatamente como eles.

12 Você não devia ter olhado
Com satisfa­ção
O dia da desgraça de seu irmão;
Nem ter se alegrado
Com a destruição do povo de
Judá;
Não devia ter falado com arrogância
No dia da sua aflição.

13 Não devia ter entrado pelas portas
Do meu povo
No dia da sua calamidade;
Nem devia ter ficado alegre
Com o sofrimento dele
No dia da sua ruína;
Nem ter roubado a riqueza dele
No dia da sua desgraça.

14 Não devia ter esperado
Nas encruzilha­das,
Para matar os que conseguiram escapar;
Nem ter entregado os sobreviventes
No dia da sua aflição.

15 “Pois o dia do Senhor está próximo
Para todas as nações.
Como você fez, assim será feito a você.
A maldade que você praticou
Recairá sobre você.

16 Assim como vocês beberam
Do meu castigo
No meu santo monte,
Também todas as nações
Beberão sem parar.
Beberão até o fim
E serão como se nunca tivessem
Existido.

17 Mas no monte Sião estarão os que
Escaparam;
Ele será santo
E a descendência de Jacó
Possuirá a sua herança.

18 A descendência de Jacó será um fogo,
E a de José uma chama;
A descendência de Esaú será a palha.
Eles a incendiarão e a consumirão.
Não haverá sobreviventes
Da descendên­cia de Esaú”,
Declara o Senhor.

19 Os do Neguebe se apossarão
Dos montes de Esaú,
E os da Sefelá ocuparão
A terra dos filisteus.
Eles tomarão posse dos campos
De Efraim e de Samaria,
E Benjamim se apossará de Gileade.

20 Os israelitas exilados se apossarão
Do território dos cananeus
Até Sarepta;
Os exilados de Jerusalém
Que estão em Sefarade
Ocuparão as cidades do Neguebe.

21 Os vencedores subirão ao monte Sião
Para governar a montanha de Esaú.
E o reino será do Senhor.