Zacarias 9

1 A advertência do Senhor é contra a terra de Hadraque
E cairá sobre Damasco,
Porque os olhos do ­Senhor estão sobre toda a humanidade
E sobre todas as tribos de Israel

2 E também sobre Hamate que faz fronteira com Damasco
E sobre Tiro e Sidom, embora sejam muito sábias.

3 Tiro construiu para si uma fortaleza;
Acumulou prata como pó,
E ouro como lama das ruas.

4 Mas o Senhor se apossará dela
E lançará no mar suas riquezas,
E ela será consumida pelo fogo.

5 Ao ver isso Ascalom ficará com medo;
Gaza também se contorcerá de agonia,
Assim como Ecrom,
Porque a sua esperança fracassou.
Gaza perderá o seu rei,
E Ascalom ficará deserta.

6 Um povo bastardo ocupará Asdode,
E assim eu acabarei
Com o orgulho dos filisteus.

7 Tirarei o sangue de suas bocas
E a comida proibida
Entre os seus dentes.
Aquele que restar pertencerá
Ao nosso Deus
E se tornará chefe em Judá,
E Ecrom será como os jebuseus.

8 Defenderei a minha casa
Contra os invasores.
Nunca mais um opressor
Passará por cima do meu povo,
Porque agora eu vejo isso
Com os meus próprios olhos.

9 Alegre-se muito, cidade de Sião!
Exulte, Jerusalém!
Eis que o seu rei vem a você,
Justo e vitorioso,
Humilde e montado num jumento,
Um jumentinho, cria de jumenta.

10 Ele destruirá
Os carros de guerra de Efraim
E os cavalos de Jerusalém,
E os arcos de batalha serão quebrados.
Ele proclamará paz às nações
E dominará de um mar a outro
E do Eufrates até os confins da terra.

11 Quanto a você, por causa do sangue
Da minha aliança com você,
Libertarei os seus prisioneiros
De um poço sem água.

12 Voltem à sua fortaleza,
Ó prisioneiros da esperança;
Pois hoje mesmo anuncio que restaurarei
Tudo em dobro para vocês.

13 Quando eu curvar Judá
Como se curva um arco
E usar Efraim como flecha,
Levantarei os filhos de Sião
Contra os filhos da Grécia
E farei Sião semelhante
À espada de um guerreiro.

14 Então o Senhor aparecerá sobre eles;
Sua flecha brilhará como o relâmpago.
O Soberano, o Senhor,
Tocará a trombeta
E marchará em meio às
Tempestades do sul;

15 O Senhor dos Exércitos os protegerá.
Eles pisotearão e destruirão
As pedras das atiradeiras.
Eles beberão o sangue do inimigo
Como se fosse vinho;
Estarão cheios como a bacia
Usada para aspergir água
Nos cantos do altar.

16 Naquele dia, o Senhor, o seu Deus,
Os salvará como rebanho do seu povo
E como joias de uma coroa
Brilharão em sua terra.

17 Ah! Como serão belos!
Como serão formosos!
O trigo dará vigor aos rapazes,
E o vinho novo às moças.